Farmacêutico no cuidado com as interações medicamentosas

Introdução

 

Em nosso post interação medicamentosa na população brasileira apresentamos o estudo em parceria com a Cuco Health sobre o cenário de riscos à saúde dos pacientes que consomem dois ou mais medicamentos. No post de hoje, falaremos em como os farmacêuticos podem atuar para um maior cuidado no uso de medicamentos, procurando-se evitar potenciais interações medicamentosas em seus pacientes.

 

 

Por que os farmacêuticos devem estar preparados para identificar interações medicamentosas?

 

Durante uma consulta médica, o médico tem vários enfoques como anamnese, exame físico, elaboração de hipóteses ou conclusões diagnósticas, solicitação de exames, quando necessário, e prescrição terapêutica. De modo que, nem sempre, fica claro para o paciente o uso dos medicamentos ou é dada a devida atenção às possíveis interações entre os medicamentos prescritos e os já consumidos pelo paciente.

 

Nesse cenário, o farmacêutico como o profissional em contato com o paciente, muitas vezes, no ato da compra em uma farmácia/drogaria ou antecedendo o uso dos medicamentos prescritos em um hospital, possui a responsabilidade de interagir com o paciente e com o médico para conduzir a um uso racional dos medicamentos, evitando potenciais interações medicamentosas.

 

Após, as resoluções que regulamentaram a existência da farmácia clínica (RESOLUÇÃO Nº 585 DE 29 DE AGOSTO DE 2013 CFF) e a criação da prescrição farmacêutica (RESOLUÇÃO Nº 586 DE 29 DE AGOSTO DE 2013 CFF), os farmacêuticos passaram a não desempenhar somente uma atividade de dispensação de medicamentos em farmácias e hospitais. Hoje, os farmacêuticos possuem a árdua incubência de alcançar uma boa adesão e bons resultados no tratamento dos pacientes.

 

Entretanto, muitos farmacêuticos têm receio de tratar das interações medicamentosas. Isso ocorre porque falta-lhes segurança nesse tema, devido ao não aprendizado durante a graduação, as milhares de interações medicamentosas existentes, a constante atualização das informações e a falta de tempo para se dedicar no aprendizado e reciclagem do tema.

 

Os farmacêuticos precisam estar preparados para realizarem uma interpretação e intervenção quando necessária, isso porque as interações medicamentosas são mais comuns e frequentes do que os profissionais imaginam, e por ser frequentemente difícil identificá-las.

 

 

Soluções possíveis para os farmacêuticos

 

Existem alguns caminhos a serem seguidos pelos farmacêuticos para que tenham maior segurança na condução do tratamento de seus pacientes quanto ao cuidado com as potenciais interações medicamentosas que estes possam vir a apresentar.

 

1- “Decorar” as Interações Medicamentosas

Alguns procuram o caminho mais difícil e menos eficiente que é o de “decorar” os possíveis casos de interações que ocorrem na farmacoterapia, uma vez que, as possibilidades de interações são ilimitadas. Aos que buscam esse modelo, podem encontrar nos livros, cartilhas, e-books e bulários fontes de conteúdo relevante.

 

Como livro referência sobre interações medicamentosa, temos:

  • Stockley Drugs Interaction

Entre os artigos sobre interações medicamentosas com maiores citações temos:

Entre cartilhas práticas para a consulta encontramos:

 

2- Capacitação por meio de cursos  em Interações Medicamentosas

Uma opção bem mais eficiente que a anterior é a capacitação no tema através de cursos específicos no assunto ou cursos de pós graduação que contenham em sua ementa o tema das interações medicamentosas.

 

Entre os cursos específicos de interações medicamentosas encontram-se:  

Entre os cursos de pós-graduação que contém a interação medicamentosa em sua ementa encontram-se

 

A obtenção do sucesso com esses cursos é um resultado de investimento de tempo para aprendizado teórico e prático. É preciso também investimento financeiro já que a grande maioria são pagos. Para atender aos que se interessam por essa opção, os cursos podem ser realizados de maneira presencial ou online e com investimentos variados.

 

3- Uso de tecnologias com base de dados de Interações Medicamentosas

Uma solução moderna e que tem se mostrado cada vez mais eficaz para os farmacêuticos é o uso da tecnologia durante a execução do seu trabalho.

 

Uma solução que permite identificar as potenciais interações medicamentosas de uma maneira acessível, simplificada e ágil são as plataformas que possuem uma ampla base de dados, realizando a consulta entre todos os princípios ativos consumidos pelo seu paciente.

 

Algumas encontram-se disponíveis em versão web, outras em forma de aplicativo e há ainda as que podem ser integradas às sistemas. Algumas podem ser acessadas de modo gratuito,  outras se o profissional pertencer à um hospital ou farmácia parceira da empresa detentora da base e há ainda as que são pagas pelo próprio usuário.

 

Web

App

Integração a sistemas

 

 

Saiba avaliar os benefícios das soluções tecnológicas

 

Em nosso próximo post apresentaremos uma avaliação entre as diferentes bases de interações medicamentosas existentes, comparando algumas características e destacando os recursos do Interage, a base de dados com o maior quantidade de interações medicamentosas do Brasil desenvolvida pela IntMed.

Últimos Posts

Conheça o Interage – Base de Interações Medicamentosas

CONHEÇA O INTERAGE   Caso você tenha lido nossos últimos posts: Interação Medicamentosa na população brasileira e Farmacêutico no cuidado com as interações medicamentosas, já está bem contextualizado com essa problemática que coloca em risco a saúde pública de nosso país.   A seguir, apresentaremos nossa motivação para o desenvolvimento do Interage, bem como alguns […]

Farmacêutico no cuidado com as interações medicamentosas

Introdução   Em nosso post interação medicamentosa na população brasileira apresentamos o estudo em parceria com a Cuco Health sobre o cenário de riscos à saúde dos pacientes que consomem dois ou mais medicamentos. No post de hoje, falaremos em como os farmacêuticos podem atuar para um maior cuidado no uso de medicamentos, procurando-se evitar […]

Interação Medicamentosa na população brasileira

De acordo com a Anvisa, uma interação medicamentosa é uma resposta farmacológica ou clínica à administração de uma combinação de medicamentos, diferente dos efeitos de dois princípios ativos dados individualmente. Essa interação pode acarretar efeitos adversos, ou os efeitos terapêuticos dos fármacos associados podem ser alterados, com consequências graves para a saúde do paciente desde […]

Entre em contato

Fortaleza - Ceará

Telefone: (85) 99639-8268

Email: contato@intmed.com.br

Redes Sociais